Transa Marieta #10 - Heloisa Buarque de Hollanda


TRANSA•MARIETA Episódio #10 – Heloisa Buarque de Hollanda Em conversa com Adriana Ferreira, Clara Alvim, Francisco Alvim e Stephanie Ribeiro; mediação de Giovanni Pirelli 15.12.2020, terça-feira 18h30 – 20h30 Marieta Virtual via Zoom, ao vivo no Facebook ____ Como resposta à pandemia da Covid-19, o projeto Marieta lançou em abril de 2020 o “Transa Marieta”, programa de entrevistas com personalidades da arte e da cultura contemporânea, com o propósito de discutir uma trajetória de vida e uma percepção específica do mundo atual. Desde então, foram entrevistados o escritor Milton Hatoum, o músico Arrigo Barnabé, a arquiteta Erminia Maricato, o gestor cultural Danilo Santos de Miranda, o pensador indígena Ailton Krenak, o dramaturgo José Celso Martinez Corrêa (Zé Celso), o compositor e intelectual Gilberto Gil, a professora e líder comunitária Carmen Silva, o músico e escritor Zé Miguel Wisnik, com a participação de muitas convidadas. Nesse mês de dezembro a jornalista e editora-executiva da revista Marie Claire Adriana Ferreira Silva, a professora e crítica Clara Alvim, o poeta Francisco (Chico) Alvim e a arquiteta e escritora Stephanie Ribeiro entrevistam a escritora, ensaísta, professora e ativista Heloisa Buarque de Hollanda. A mediação fica por conta de Giovanni Pirelli, do centro cultural Marieta. ____ Como participar Para quem quiser mandar sugestões de perguntas e pautas de discussão para nossa conversa com Heloisa Buarque de Hollanda, acesse o formulário público (https://forms.gle/mPzb2CgXm7XpcJsY7) e preencha. O encontro virtual acontecerá pela plataforma Zoom e será transmitido ao vivo na página Facebook do projeto Marieta (www.facebook.com/projetomarieta), no dia 15 de dezembro de 2020, terça-feira, a partir das 18h30. ____ Sobre as participantes Heloisa Buarque de Hollanda possui graduação em Letras Clássicas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1961), mestrado em Letras ( Literatura Brasileira) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1974) e doutorado em Letras ( Literatura Brasileira) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1979). Fez Pós-Doutorado em Sociologia da Cultura na Columbia University (1982-83). Atualmente é Professora Emérita de Teoria Crítica da Cultura da Escola de Comunicação e Coordenadora do Programa Avançado de Cultura Contemporânea vinculado ao Programa de Pós Graduação Ciência da Literatura, Faculdade de Letras , Universidade Federal do Rio de Janeiro. Sua atividade de pesquisa privilegia a relação entre cultura e política, trabalhando especialmente nos campos teóricos da teoria literária e dos estudos culturais. Sua pesquisa dedica-se às áreas de poesia, relações de gênero, relações étnicas, culturas marginalizadas e as questões colocadas pelo novo quadro econômico, político e cultural dos processos de globalização e desenvolvimento tecnológico. Nestes últimos anos, seus estudos e pesquisas vêm focando a cultura produzida nas periferias urbanas, as relações de gênero e o impacto das novas tecnologias digitais na produção e no consumo culturais. Em suas palestras e artigos mais recentes, o foco principal de seu trabalho vem sendo as questões relativas ao cruzamento da tecnologia, cultura e desenvolvimento. Coordena o laboratório de tecnologias sociais Universidade das Quebradas, um projeto experimental de extensão baseado no conceito de ecologia dos saberes e o Laboratório da Palavra, espaço experimental de pesquisa, criação e produção editorial em base digital e multiplataforma e o Laboratório Mulher na Universidade, sobre a mulher e a produção de conhecimento. É autora de muitos livros entre eles Macunaíma, da literatura ao cinema; 26 poetas hoje; Impressões de Viagem; Cultura e participação nos anos 60; Pós modernismo e política; O feminismo como crítica da cultura; Guia poético do Rio de Janeiro; Asdrúbal Trouxe o Trombone: memórias de uma trupe solitária de comediantes que abalou os anos 70; Escolhas, uma autobiografia intelectual; Explosão feminista e Pensamento feminista: conceitos fundamentais e Pensamento feminista brasileiro: formação e contexto. Adriana Ferreira Jornalista | Editora voltada a pautas interseccionais com recorte de gênero, representatividade e inclusão | Curadora | Mediadora | Palestrante. Nas últimas duas décadas, trabalhei nas maiores e mais importantes empresas de mídia brasileiras –Grupo Globo, Folha de S.Paulo e Editora Abril. Desde 2017, sou editora-executiva da revista Marie Claire, onde faço um trabalho focado em pautas interseccionais, com recorte de gênero, inclusão e representatividade racial e de classe. Também atuo na concepção, criação e produção de projetos digitais e/ou centrados em questões de gênero e diversidade como Power Trip Summit, maior encontro de liderança feminina do Brasil; e o Prêmio Viva, parceria com o Instituto Avon que destaca personalidades de diferentes áreas que atuam no enfrentamento à violência contra a mulher. Clara de Andrade Alvim (Rio de Janeiro, 1936) é diplomada em Letras Neo-Latinas na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Lecionou na UFRJ e na PUC-RJ, onde fez o concurso para Livre-Docente com uma tese sobre Guimarães Rosa. Trabalhou sucessivamente no Centro Nacional de Referência Cultural, na Fundação Nacional Pró-Memória e na Universidade de Brasília até sua aposentadoria. Francisco Alvim (Araxá MG 1938), poeta e diplomata, publicou em Brasília seu primeiro livro de poesias, Sol dos Cegos, em 1968. No ano seguinte embarcou para a França, onde viveu até 1971; de volta ao Brasil, passou a integrar o Grupo Frenesi, com Cacaso, Chacal, Geraldo Carneiro e Roberto Schwarz. Sua poesia, de filiação modernista, foi influenciada pelas obras de Carlos Drummond de Andrade e Manuel Bandeira, além de Oswald de Andrade, com quem tem em comum os versos sintéticos e bem-humorados. Aliás, a citação e a paródia de poetas modernistas, assim como o coloquialismo, são traços marcantes no trabalho dos chamados poetas marginais, da qual Alvim fez parte. Em 1974, ele lançou Passatempo, dentro da coleção Frenesi. Teve poemas incluídos na Antologia de Poesia Marginal, organizada por Eudoro Augusto e Bernardo Vilhena na revista Malasartes, em 1975, e em 26 Poetas Hoje, antologia ordenada por Heloísa Buarque de Hollanda em 1976. Alvim ganhou o prêmio Jabuti de Poesia, concedido pela Câmara Brasileira do Livro, em 1982, por Passatempo e Outras Poesias, e em 1989 por Poesias Reunidas: 1968-1988. Sua obra mais recente é Elefante, de 2000. Stephanie Ribeiro é arquiteta, escritora e feminista negra que escreve, palestra e acredita através da arte, política, cultura entre outros no papel fundamental do ativismo negro interseccional e temas adjacentes a experiência da mulher negra no mundo. Colunista na Marie Claire e apresentadora no GNT. ____ Projeto Marieta O projeto Marieta é um centro cultural comunitário colaborativo, fundado em 2015 com a proposta de ser um espaço de pesquisa, difusão e produção de arte e cultura contemporânea. A diretoria e conselho curatorial é da responsabilidade do coletivo formado por Abilio Guerra, Caio Guerra, Giovanni Pirelli, Helena Guerra, Silvana Romano Santos. Atualmente conta com as participações de Lucas Minari (tuttofare), Magaly Corgosinho e Neliane Simioni (assessoria de imprensa); Marcella Arruda e Marina Frúgoli (pesquisadoras residentes); Ana Júlia Travia, Julia Rantigueri, Julia Zylbersztajn, Pedro Santiago e Paula Monroy (colaboradores internos); André Scarpa, Bianca Leite, Felipe Rodrigues, Marina Dias Teixeira e Pablo Figueroa (colaboradores externos); Lírios Spacca (design gráfico). O grupo conta com a adesão fundamental de Claudia Romano, Emiliana Romano Santos, Norma Romano Santos (apoio moral) e de Garibaldi Maria Pirelli Guerra, Martino Pirelli Guerra, Piero Pirelli Guerra, Tom Guerra, Francesca Tosi, Francesco Pirelli (apoio emocional). Nos tempos atuais de pandemia, o espaço está se mantendo aberto e atuante (virtualmente) graças ao apoio de amigos do Marieta, via apoio cultural no website benfeitoria.com/marieta.

_______ Últimos episódios #9 - Zé Miguel Wisnik com Eucanaã Ferraz e Evandro Camperom; mediação de Abilio Guerra #8 - Carmen Silva com Bruno Ramos, Débora Sanches, Eliane Caffé e Luiz Gonzaga “Gegê” da Silva; mediação de Giovanni Pirelli #7 - Gilberto Gil com Chico César, Djamila Ribeiro, Keyna Eleison e Luiz Fernando de Almeida, mediação de Abilio Guerra e Giovanni Pirelli #6 – Zé Celso Martinez Corrêa com Giovanni Pirelli, Cafira Zoé, Casé Angatu, Marcelo Dalourzi e Marília Gallmeister #5 - Ailton Krenak com Abilio Guerra, Isa Grinspum, Marco Altberg e Suely Rolnik #4 - Danilo Santos de Miranda com Abilio Guerra, Giovanni Pirelli e Marta Bogéa #3 - Erminia Maricato com Abilio Guerra, Celso Aparecido Sampaio, João Sette Whitaker e Lizete Rubano #2 - Arrigo Barnabé com Abilio Guerra, Carla Camurati, Luiz Gê, João e Paulo Sampaio #1 - Milton Hatoum com Abilio Guerra, Augusto Massi e Julia Bussius