sobre curadoria - terceira edição

04.27.2019

 

 

de 16.03 a 27.04
sábados
10h-13h

com
Aracy Amaral
Fabio Cypriano
Jochen Volz
Júlia Rebouças
Thyago Nogueira

inscrições no site: https://bit.ly/2DGTNUF
dúvidas: contato@projetomarieta.com.br
_____________
Histórico

O Projeto Marieta – centro cultural transdisciplinar situado no centro de São Paulo – apresenta o terceiro curso da série dedicada à Curadoria e organizado por Abilio Guerra e Giovanni Pirelli. O evento acontece de 16 de março a 13 de abril de 2019, em cinco sessões aos sábados de manhã, com as presenças de Aracy Amaral, Fabio Cypriano, Jochen Volz, Júlia Rebouças e Thyago Nogueira.

Os cursos anteriores foram os seguintes: “Seis curadores I”, de 07 de maio a 11 de junho de 2016, com as participações de Agnaldo Farias, Nelson Brissac, Marta Bogéa, Abilio Guerra, Jacopo Crivelli e Eder Chiodetto; “Seis curadores II”, de de 04 de março a 08 de abril de 2017, com apresentações de Ana Luiza Nobre, Ana Maria Belluzzo, Francisco Fanucci & Marcelo Ferraz, Guilherme Wisnik, Paula Braga e Paulo Miyada; e “Sobre curadoria”, com Solange Farkas, Mirtes Marins de Oliveira, Fernando Oliva, Cauê Alves e Martin Corullon.
_____________
Conceito
A série sobre curadoria do projeto Marieta é uma iniciativa que entende curadoria de forma ampliada: a atribuição de significados para a produção cultural, pressupondo arranjos, aproximações, recortes, deslizamentos, confrontos, diálogos, dissonâncias entre objetos e procedimentos dispersos pelo campo social, mas que podem (e são) apreendidos como objeto de estudo e interesse pelos campos específicos e demarcados como artes plásticas, arquitetura, cinema, fotografia etc. Assim, a curadoria não é vista aqui apenas como organização de exposições, mas projetos curatoriais que envolvem discussões, edições, situações.
Os profissionais convidados, com experiências e vivências distintas, enfrentarão aspectos diversos da área de curadoria. As apresentações abordarão questões teóricas, técnicas e artísticas, sempre amparadas por exemplos concretos e tendo como pauta as práticas dos profissionais. Ao final das apresentações haverá uma conversa com o público.
_____________
Formato
O curso conta com cinco palestrantes que se apresentarão em cinco encontros de 3 horas cada, totalizando 15 horas. O público alvo é variado: alunos de cursos graduação e pós nas áreas da cultura, jovens profissionais, em especial curadores, artistas e arquitetos, interessados de todas as idades etc. Será necessário um mínimo de 14 alunos inscritos no curso para viabilizar economicamente sua realização.
Ao final da série de conferências, os alunos que participarem de ao menos quatro seções receberão um atestado de participação no curso, emitido pelos parceiros do Marieta. É possível a participação avulsa em uma ou mais seções; nesses casos, porém, não será concedido o direito ao atestado de participação no curso.
_____________
Cronograma
A aulas ocorrerão sempre aos sábados, das 10h às 13h, no espaço Marieta, localizado na Rua Maria Paula 96, 2o andar.
16 março / Júlia Rebouças
23 março / AULA POSTERGADA
30 março / Thyago Nogueira
06 abril / Fabio Cypriano
13 abril / Jochen Volz
27 abril / Aracy Amaral
_____________
Investimento
Os valores do aporte para o curso são os seguintes:
• curso completo: R$ 450,00 / estudante R$ 360,00
• palestra individual: R$ 150,00
_____________
Sobre os palestrantes

Aracy Amaral
inicia-se nas artes plásticas em 1951, aos 21 anos, quando visita a 1ª Bienal de São Paulo como estudante de jornalismo. A partir de então, orienta a carreira para pesquisa e divulgação da história da arte e de artistas brasileiros, como crítica de arte, professora universitária, curadora ou dirigente de instituições culturais. Atua também como membro do Comitê Internacional de Premiação do Prince Claus Fund em Haia, na Holanda (2003-2005), e participa da comissão julgadora de salões e bienais de arte. Em 1973, é premiada pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) na categoria Pesquisa. Dois anos depois, recebe o prêmio na categoria Comunicação, na área de artes visuais, pela publicação de livros de arte. Recebeu o prêmio Jabuti pela publicação de Hispanidade em São Paulo (1981/82) e escreve para a Folha de São Paulo, AUT AUT (Milão) e Arts Magazine (Nova York). Como curadora de exposições, passou pelo Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro com Tarsila - 50 Anos de Pintura (1969) e Alfredo Volpi (1972). Ainda na América Latina foi curadora da 1ª Trienal do Chile (2009) e da 8ª Bienal do Mercosul (2011), enquanto na França realizou exposições sobre arte moderna brasileira no Musée d'Art Moderne de la Ville de Paris em 1999 e 2015.


Fabio Cypriano
Doutor em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, onde é professor nos cursos de Jornalismo (graduação) e Jornalismo Cultural e Arte: Crítica e Curadoria (pós-graduação lato sensu). Atua como crítico de artes plásticas e repórter da “Folha de S. Paulo”, colaborador da revista inglesa “Frieze”, da italiana “Flash Art International” e autor de “Pina Bausch” (Cosac Naify, 2005), entre outros.

Jochen Volz
Estudou História da Arte na Universidade Ludwig-Maximilian, em Munique, e na Humboldt Universität, em Berlim. Em 1999, ganhou o título de mestre com a dissertação The Portrait in Contemporary Art: Elizabeth Peyton, Wolfgang Tillmans, Marlene Dumas, Thomas Ruff. Entre 2001 e 2004, foi curador do Portikus em Frankfurt e desde 2004 é curador do Inhotim, onde ocupa também o cargo de diretor artístico. Em 2006, foi curador convidado da 27ª Bienal de São Paulo e na Ásia é co-curador da Aichi Triennial 2010, em Nagoya, Japão. Além disso, foi Diretor de Programação da Serpentine Gallery em Londres (2012 a 2015) e cocurador da 53ª Bienal de Veneza em 2009 e da 57ª em 2017, ano em que se tornou Diretor Geral da Pinacoteca de São Paulo, cargo que ocupa até hoje.

Julia Rebouças
(Aracaju, 1984) é curadora, pesquisadora e crítica de arte. Foi co-curadora da 32a Bienal de São Paulo, Incerteza Viva (2016). De 2007 a 2015, trabalhou na curadoria do Instituto Inhotim, Minas Gerais. Colaborou com a Associação Cultural Videobrasil, integrando a comissão curadora dos 18º e 19º Festivais Internacionais de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil, em São Paulo. Foi curadora adjunta da 9ª Bienal do Mercosul, em Porto Alegre, Se o clima for favorável, em 2013. Realiza diversos projetos curatoriais independentes, dentre os quais destacamos a mostra individual de Cildo Meireles no Sesc Pompeia, São Paulo, a acontecer em 2019; a exposição Entrementes, da artista Valeska Soares, na Estação Pinacoteca, São Paulo, de agosto a outubro de 2018, a mostra MitoMotim, no Galpão VB, São Paulo, de abril a julho de 2018 e Zona de instabilidade, com obras da artista Lais Myrrha, na Caixa Cultural Sé, São Paulo, em 2013, e na Caixa Cultural Brasília, em 2014. Integrou o corpo de jurados do concurso que selecionou o projeto arquitetônico e curatorial do Pavilhão do Brasil na Expo Milano 2015, concurso realizado em janeiro de 2014, em Brasília. Escreve textos para catálogos de exposições, livros de artista e colabora com revistas de arte. Graduou-se em Comunicação Social/ Jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco (2006). É mestre e doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade Federal de Minas Gerais, com a tese “Eis a arte: a atuação do crítico, curador e artista Frederico Morais”, defendida em 2017.

Thyago Nogueira
é curador e editor. Dirige o departamento de Fotografia Contemporânea do Instituto Moreira Salles e é editor-chefe da revista ZUM. Fez a curadoria das exposições de Claudia Andujar ("A luta Yanomami", 2018, e “No lugar do outro”, 2015), Rosângela Rennó ("Rio Utópico", 2017), William Eggleston (“A cor americana”, 2015), Mauro Restiffe (“São Paulo Fora de Alcance”, 2014) e da coletiva "Corpo a corpo: a disputa das imagens, da fotografia à transmissão ao vivo" (2017). Fez a curadoria do projeto “Água escondida”, de Caio Reisewitz (ArqFuturo, 2014), “Offside Brazil” (2014), em parceria com a agência Magnum, e “Câmera Aberta”, de Michael Wesely. Foi editor-convidado da revista Aperture (2014) para a edição dedicada à fotografia de São Paulo. Em 2011, organizou o livro Por trás daquela foto em parceria com Lilia Mortiz Schwarcz. Trabalhou como editor de literatura na Companhia das Letras de 2001 a 2011. Fez parte do júri dos prêmios Paul Huf (Foam), Hasselblad, Deustche Börse, MACK, Prix Pictet, Gardner (Harvard), Fondazione Fotografia Modena e Tim Hetherington Trust, entre outros.


_____________
Contato

Informações: imprensa@projetomarieta.com.br
Inscrição: https://www.projetomarieta.com.br/product-page/sobre-curadoria



sobre as edições passadas:
www.projetomarieta.com.br/acervo

Please reload