6 curadores II - curso sobre curadoria


Ana Luiza Nobre Ana Maria Belluzzo Francisco Fanucci & Marcelo Ferraz Guilherme Wisnik Paula Braga Paulo Miyada _____________________ Organizada por Abilio Guerra e Giovanni Pirelli, a primeira edição do curso ocorreu com grande sucesso em 2016, para o “Curadores 2” foram convidados profissionais com experiências e vivências distintas, que abordarão aspectos curatoriais presentes nas exposições contemporâneas, em especial os que envolvem as múltiplas relações entre arte, arquitetura e cidade, as novas formas de ocupar e se apropriar do meio urbano, as novas estratégias de habitar e inventar o território. A iniciativa entende curadoria de forma ampliada: a atribuição de significados para a produção cultural, pressupondo arranjos, aproximações, recortes, deslizamentos, confrontos, diálogos, dissonâncias entre objetos e procedimentos dispersos pelo campo social, mas que podem (e são) apreendidos como objeto de estudo e interesse pelos campos específicos e demarcados como artes plásticas, arquitetura, cinema, fotografia etc. Assim, a curadoria não é vista aqui apenas como organização de exposições, mas projetos curatoriais que envolvem discussões, edições, situações. _____________________ sábados 04.03 a 08.04 10h ás 13h 04 março: Paula Braga 11 março: Ana Luiza Nobre 18 março: Francisco Fanucci & Marcelo Ferraz 25 março: Guilherme Wisnik 01 abril: Ana Maria Belluzzo 08 abril: Paulo Myiada curso integral R$ 400,00 (inteiro) R$ 320,00 (estudantes) aula avulsa R$ 100,00 (inteiro) R$ 80,00 (estudantes) _____________________ informações e inscrições contato@projetomarieta.com.br _____________________ Sobre os palestrantes: Ana Luiza Nobre é arquiteta (UFRJ, 1986), mestre e doutora em História (PUC-Rio, 1998 e 2008) e especialista em Tecnologia, Arquitetura e Cidade (Politecnico di Torino, 1995). Professora do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e coordenadora na mesma instituição do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura (2012-2013) e Laboratório de Análises Arquitetônicas (atual). É autora, coautora ou organizadora de vários artigos e livros e integra várias coletâneas nacionais e internacionais. Ao lado de Alfredo Britto e Lidia Kosovski, foi curadora da exposição “O Rio jamais visto” (CCBB-Rio, 1998). Ao lado de Ligia Nobre, foi curadora auxiliar da 10a Bienal de Arquitetura de São Paulo, com curadoria geral de Guilherme Wisnik (São Paulo, 2013). Ana Maria Belluzzo é graduada em Curso Para Formação de Professores de Desenho (FAAP, 1966), mestre em Artes, doutora em arquitetura e urbanismo, e livre-docente (USP, 1980, 1988 e 1997). É professora titular de História da Arte (FAU USP, 1998-1999) e professora colaboradora no curso de pós-graduação da mesma escola. É membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte, Comitê Brasileiro de História da Arte, International Center for the Arts of the Americas do Museum of Fine Arts (Houston) e Conselho de Orientação Artística da Pinacoteca do Estado de São Paulo. Coordena o comitê brasileiro do projeto “Documents of 20th Century of Latin American and Latino Art” (apoio Fapesp). Além da premiadíssima exposição “O Brasil dos viajantes” (Masp, 1994), foi curadora de diversas exposições individuais e coletivas – “Thomas Ender no Brasil”, “Carmela Gross”, Waldemar Cordeiro, uma aventura da razão”, “Tradição e ruptura – síntese de arte e cultura brasileira”, dentre outras. Francisco Fanucci & Marcelo Ferraz, sócios-titulares do escritório Brasil Arquitetura (fundado em 1979), são arquitetos formados na FAU USP e responsáveis por diversos projetos de arquitetura, urbanismo, recuperação e restauro, além de atuantes na área de design – são criadores e proprietários da marcenaria Baraúna. São autores de projetos arquitetônicos de vocação cultural e voltados às exposições, casos dos premiados Praça das Artes (São Paulo), Museu Rodin (Salvador), Museu do Pão (Ilópolis), Museu Afro (São Paulo), Conjunto KKKK (Registro), além do Cais do Sertão Luiz Gonzaga (Recife) e Centro de Interpretação do Pampa (Jaguarão), com previsão para inauguração em 2017. Guilherme Wisnik é arquiteto (FAU USP, 1998), mestre em História Social (FFLCH USP, 2004), doutor (FAU USP, 2012) e professor de graduação e pós-graduação (FAUUSP, desde 2014). É autor dos livros Lucio Costa (Cosac Naify, 2001), Caetano Veloso (Publifolha, 2005) e Estado crítico (Publifolha, 2009), organizador de O risco: Lucio Costa e a utopia moderna (Bang Bang, 2003) e Paulo Mendes da Rocha (Azougue, 2012), e co-organizador de Coletivo: arquitetura paulista contemporânea (Cosac Naify, 2006). Foi vice-diretor do Centro Universitário Maria Antonia (2014-2016), colunista do jornal Folha de S. Paulo (2006-2007; 2016) e da Rádio USP. Foi Curador-Geral da 10a Bienal de Arquitetura de São Paulo (IAB/SP, 2013). Paula Braga é professora da UFABC na área de Filosofia (Estética), é bacharel em Ciência da Computação pela Universidade de São Paulo (1990) e em Artes Plásticas pela University of Illinois (1999). Possui mestrado em História da Arte (Masters of Arts) pela University of Illinois (2001) e doutorado em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP (2007). Em 2012 concluiu o pós-doutorado no Instituto de Artes da Unicamp na área de Teoria da Arte, com pesquisa sobre a arte na era das redes de comunicação. Trabalhou em instituições de arte brasileiras e no Krannert Art Museum (EUA). Seus projetos e publicações concentram-se em arte contemporânea brasileira. Atua como consultora de coleções privadas e atuou como curadora independente nas exposições “Luiz Hermano, tramando mundos”, “Tempobjeto”, “Inutilia”, “El Bosque II – Victor Lema Rique”, “A Metafísica do Belo”, “Cao Guimarães no MIS”, dentre outras. Paulo Miyada é arquiteto e urbanista pela FAU USP, onde realizou seu mestrado na área de História e Fundamentos da Arquitetura e Urbanismo. Trabalhou como assistente de curadoria da 29a Bienal de São Paulo (2010), integrou a equipe curatorial do programa Rumos do Itaú Cultural (2011-2013), e foi co-curador do 34o Panorama da Arte Brasileira do Museu de Arte Moderna de São Paulo. Foi curador das mostras coletivas “A parte que não te pertence, Wiesbaden” (Kunsthaus Wiesbaden, 2014), “A parte que não te pertence, Madri” (Galeria Maisterravalbuena, 2014), “Boletim” (Galeria Millan, 2013), entre outras. É curador do Instituto Tomie Ohtake, onde coordena o Núcleo de Pesquisa e Curadoria e curou mostras como “Aprendendo com Dorival Caymmi: Civilização Praieira” e “Leda Catunda – I love you baby” (2016).