Olho de Vidro - a linguagem no documentário


com Paula Sacchetta de 04 à 25.07 19-22h às quintas inscrições: https://bit.ly/2Q4XyI0 dúvidas: contato@projetomarieta.com.br ______ ATENÇÃO: Este curso acontece presencialmente no Marieta, caso queira acompanhar via internet, escolha a opção "online" no momento da compra. ______ Um mergulho na história e linguagem do documentário em quatro aulas. Dos clássicos e fundadores da linguagem, aos diretores mais contemporâneos, uma discussão também para além da forma, entrando no fazer documental: como se portar eticamente frente a personagens de carne e osso, como fazer entrevistas e como utilizar certos dispositivos? Aula 1 - 04.07 Cinema direto e cinema verdade: de Flaherty e Vertov aos americanos e Jean Rouch Um panorama do surgimento da linguagem documental: do primeiro filme documentário, Nanook of the north, de Robert Flaherty (1922), aos americanos do cinema direto, passando por Dziga Vertov e Jean Rouch. Aula 2 - 11.07 Como filmar o inimigo A questão ética no documentário: como filmar o inimigo? Como se portar diante de perpetradores de violações de direitos humanos, de um lado, cevando a fonte para extrair as informações necessárias para o filme e a denúncia, e, de outro, sem firmar um "acordo de cavalheiros" e se tornar cúmplice daquele que se coloca diante de você? Quais técnicas foram utilizadas até hoje enquanto linguagem documental? Aula 3 - 18.07 Diante da dor dos outros Seguindo a linha da segunda aula, como denunciar e mostrar as dores causadas em pessoas de carne e osso, mas ao mesmo tempo respeitando a dor delas? Uma inspiração na "fotografia do bem querer", de João Roberto Ripper, e na clássica discussão pautada por Susan Sontag. Aula 4 - 25.07 A entrevista e documentários de dispositivo A entrevista pode ser a alma de um documentário. Como utilizá-la para além dos talking heads? Serão abordadas as diversas técnicas de entrevista e documentários de dispositivo. ______ sobre a palestrante Paula Sacchetta trabalha há alguns anos como documentarista e é especializada em temas ligados a direitos humanos. Seu longa documental “Precisamos Falar do Assédio” foi lançado no 49o Festival de Brasília, em 2016. Paula também dirigiu o documentário “Verdade 12.528”, lançado em 2013 na 37a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Ganhou o Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos em 2012 e cobriu as primeiras eleições presidenciais egípcias, no Cairo, para a TV Folha. Já fez webdocs para o canal AJ+, da Aljazeera, um mini-doc sobre os homens-placa, e outro sobre a Cracolândia para o jornal inglês The Guardian. Lançou em 2014 “Quanto mais presos, maior o lucro”, co-dirigiu, em 2017, a série de TV “Famílias”, sobre jovens LGBT na periferia de São Paulo, e em 2018 dirigiu uma série sobre sistema carcerário para o Canal Curta!. É colaboradora do Hysteria e no momento está desenvolvendo dois longas documentais: um sobre sexo na terceira idade e outro sobre masculinidades. ______ investimento R$ 360,00 (inteira) R$ 288,00 (reduzida)* a partir de 2019, o Marieta reserva bolsas integrais para 10% das vagas em seus cursos pagos, priorizando pessoas de baixa renda ou em situação de vulnerabilidade. Para candidatar-se às bolsas é suficiente enviar uma carta de intenções e breve curriculum ao email contato@projetomarieta.com.br. *redução para estudantes, professores da rede pública, idosos e ex-alunos Marieta 2019 inscrições: https://bit.ly/2Q4XyI0 dúvidas: contato@projetomarieta.com.br ______ cineclube Em paralelo ao curso, às terças feiras, o Cineclube Marieta terá uma programação dedicada ao gênero, para um debate aprofundado sobre o universo da não ficção. mais informações: https://www.facebook.com/events/2191060264276726/ ______ filmes 02.07 Nostalgia da Luz - dir. Patricio Guzmán, 90’ (2010) 16.07 The Act of Killing - dir. Joshua Oppenheimer, 166’ (2012) 23.07 Grey Gardens - dir. Albert & David Maysels, 95’ (1975) 30.07 Edifício Master - dir. Eduardo Coutinho, 110’ (2002) às terças gratuito 19h abertura 19h30 projeção debate após a sessão