Festival Marieta à Parte

05.30.2019

 

 

 

FESTIVAL MARIETA À PARTE
30.05-02.06
quinta à domingo
14-21h

casa parte
av. europa – 241, são paulo, sp
_______________________
SOBRE O FESTIVAL

Com grande alegria anunciamos a participação do Marieta na seção “Lado B” da Casa Parte, dedicada à coletivos, ateliês e espaços independentes. De quinta-feira dia 30.05 à domingo 02.06 iremos ocupar um cômodo de um lindo casarão em frente ao MuBE com uma programação especial, que apresentamos em detalhe logo abaixo. Para enfrentar esse começo de inverno, escolhemos ocupar a sala da lareira, com anexo um delicioso jardim particular.

De quinta à domingo, ao lado de propostas permanentes, dedicamos cada dia de evento à um tema diferente, com aulas, seminários, cineclube, música ao vivo e debates.

Marieta à parte, compartilhamos essa semana curta de programação com os projetos: Ateliê Alê, Ateliê da Praça, Casa OHMS, Coletivo Átomo, Estúdios Galeria Califórnia, Grupo Aluga-se, Grupo Quinto Andar, Hermes, Plana, Rizoma e Vão Espaço de Arte – todos com programação autônoma e exposições coletivas e abertos para visitação.

Link: https://bit.ly/30BoCDG
_______________________
INGRESSOS

O Marieta está disponibilizando ingressos gratuitos em seu site, com número limitado para cada dia de evento.
Cada convite dá direito à um ingresso gratuito, válido por um dia, na Casa Parte e permite o acesso à todas as atividades!

Os ingressos gratuitos são limitados. Para reservar a sua vaga, entre no link abaixo e escolha o dia de visitação de sua preferência.

Caso os convites esgotem, é possível comprar ingressos diretamente na bilheteria da Casa Parte: R$ 20 (inteira) ou R$ 10 (meia) – a receita irá à produção da Casa Parte, para cobrir os custos do evento.

_______________________
PROGRAMAÇÃO PERMANENTE

exposição das obras de

Alile Dara Onawale*
Anais Karenin*
Clara Mazini*
Fernando Banzi
Gabriela Silveira*
Gabriella Garcia
Glen Lasio
Helena Guerra
Lucie Salgado*
Luisa Callegari*
Marcelo Tolentino
Nelson Kon
Rafael Hayashi
Sandra Lapage*

*integrantes da Piscina – plataforma para mulheres artistas. A Piscina é um projeto de curadoria experimental que tem como objetivo divulgar o trabalho de mulheres artistas contemporâneas. Atualmente coordenada por Ana Luiza Fortes e Paula Plee, a plataforma foi criada em 2015 em conjunto com Nataly Callai.

- todas as obras expostas estarão à venda -

Livraria
Livros de arquitetura da Romano Guerra Editora
Catálogo da Janela Goma Oficina

_______________________
PROGRAMAÇÃO DIÁRIA

30.05 QUINTA-FEIRA
// ECOLOGIA //

→ CONVITES: https://bit.ly/2HIhLQ9

– 17h - Encontro: Cidade Viva – porque São Paulo precisa da Permacultura? + A Cultura do Lixo
Apresentação: Luiz Cecilio e Daniele B. M. Minussi
Duração: 60min

Cidade Viva:
- O discurso da sustentabilidade.
Breve histórico.
- O que é Permacultura?
Princípios éticos e de design.
- Considerando a escala da comunidade.
Da construção sustentável ao urbanismo sustentável.
- Permacultura no contexto das cidades.
Práticas para a integração e o princípio da precaução.

A Cultura do Lixo:
- O lixo como problema urbano.
Meio ambiente: Os 5 “Rs” da Sustentabilidade
- Reciclagem de resíduos sólidos
Ressignificação de resíduos. A reciclagem de ideias e conceitos da sociedade a um novo uso.
- Reciclagem de espaços residuais
Intervenção Urbana possibilitando uma boa vivência sensorial do espaço. Resgate de espaços exclusos da malha urbana.

Objetivos:
- Desenvolver compreensão a respeito dos conceitos de Sustentabilidade e Permacultura;
- Refletir sobre a adoção de práticas e técnicas sustentáveis/ambientais adaptadas ao contexto urbano;
- Propor uma ressignificação ao processo de reciclagem através da arte e da cultura,
agregando valor cultural e espacial.


– 19h – Cineclube: Ecologia e Cinema
curadoria: Videocamp
duração: 53min

Grande Sertão (4min)

O vídeo “Grande Sertão”, produzido pelo WWF-Brasil e Comova, mostra a flora, a fauna e as peculiaridades do Cerrado numa forma de chamar a atenção das pessoas para as riquezas do bioma e a necessidade de um modelo de produção mais sustentável, que promova o desenvolvimento com maior inclusão social e distribuição de renda, ao mesmo tempo que conserve o meio ambiente.

Sob a Pata do Boi (49min)

A Amazônia tem hoje 85 milhões de cabeças de gado, três para cada habitante humano. Na década de 1970, quase não havia bois e a floresta estava intacta. Desde então, uma porção equivalente ao tamanho da França desapareceu, da qual 66% virou pastagem. A mudança foi incentivada pelo governo, que motivou a chegada de milhares de fazendeiros de outras partes do país. A pecuária tornou-se bandeira econômica e cultural da Amazônia, forjando poderosos políticos para defendê-la. Em 2009, o jogo começou a virar quando o Ministério Público obrigou os grandes frigoríficos a monitorarem o desmatamento nas fazendas de onde compram gado.

_______________________
31.05 SEXTA FEIRA
// NEGRITUDE //
→ CONVITES: https://bit.ly/2LYEf53

– 17h – Encontro: Negritude e Educação, um relato de experiência:
Apresentação: Beatriz de Gusmão Meigger, Tayná Victória de Lima Mesquita e Ana Martha Santos Vieira
Duração: 60min

A contemporaneidade do racismo no Brasil, enquanto sistema de opressão estrutural e simbólico, resulta na comunidade negra seguindo com disparidades de acesso à direitos fundamentais na sociedade brasileira, entre eles o direito à educação. Em tempos de medidas do governo que caminham na contramão do acesso universal a uma educação pública, laica e gratuita, o Projeto Educativo de Integração Social há 36 anos resiste acolhendo dentro da concepção de uma educação ontológica de Paulo Freire educando e educadores, oferecendo uma formação para a vida.
Conheça o PEIS: https://youtu.be/_JVQ2rKgnmo

Beatriz de Gusmão Meigger
Graduanda em Licenciatura e Bacharelado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas. Atua na modalidade EJA desde 2016, como educadora do Projeto Educativo de Integração Social – PEIS, vinculado à Faculdade de Educação da UNICAMP. Tem desenvolvido estudos enfocados no ensino de Sociologia por meio do uso da linguagem audiovisual na Educação de Jovens, Adultos e Idosos e sobre a precarização do trabalho docente.

Tayná Victória de Lima Mesquita
Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (2018) e mestranda no Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação de Jovens e Adultos - GEPEJA, da Faculdade de Educação da UNICAMP. Atua na modalidade EJA desde 2015, como educadora do Projeto Educativo de Integração Social – PEIS. Atua desde 2017 como Agente de Educação Infantil na Rede Municipal de Educação da cidade de Campinas, SP. Tem desenvolvido estudos enfocados no desvelamento das implicações do fenômeno do racismo em relação ao direito à educação, Educação de Jovens, Adultos e Idosos, interseccionalidades, gênero, branquitude entre outros temas.

Ana Martha Santos Vieira
Estudante de graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atua na modalidade EJA desde 2015 como educadora no Projeto Educativo de Integração Social – PEIS, na Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas. Ex-aluna da graduação em Licenciatura em Matemática da UNICAMP e aluna do Curso de Extensão em Educação Musical da Universidade Federal de São Carlos (UFScar), desenvolve estudos enfocados em Matemática e Musicalização na Educação de Jovens, Adultos e Idosos.

– 19h – Encontro: Negras Maneiras do Vestir
Apresentação: Hanayrá Negreiros
Duração: 60min

A palestra tem por objetivo "costurar" encontros e relações entre algumas das estéticas e vestimentas africanas, afro-brasileiras e afro-diaspóricas, a partir de uma perspectiva feminina. Alinhavaremos os três últimos séculos: XIX, XX, e XXI - estudando algumas das composições e modos "vestimentares" de mulheres negras, imergindo através de um estudo iconográfico, pelas visualidades dessas figuras femininas. Nessa conversa, estabeleceremos pensamentos sobre a indumentária como forma de expressão cultural, e dispositivo de histórias e memórias negras.

Hanayrá Negreiros
Mestra em Ciência da Religião pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, e graduada em Moda pela Universidade Anhembi Morumbi. Tem como principais focos de estudo, as estéticas afro-brasileiras e africanas, que se manifestam através da indumentária, memórias coletivas e religiosidades. Foi bolsista pelo CNPq, e é pesquisadora associada ao grupo de pesquisa Veredas: Imaginário Religioso Brasileiro, e CECAFRO - ambos pela PUC-SP. Atualmente trabalha na Programação Artística do Red Bull Station.


– 20h – Cineclube: Cinema Preto
curadoria: Pedro Santiago
duração: 60min

Pontes sobre abismos
dir. Aline Motta, 9min
[Este projeto foi contemplado com o Programa Rumos Itaú Cultural 2015/2016 e participou da exposição "Narrativas do Invisível" no Itaú Cultural/SP.]

Instigada pela revelação de um segredo de família, Aline partiu em uma jornada à procura de vestígios de seus antepassados. Ela viajou para áreas rurais no Rio de Janeiro, em Minas Gerais, Portugal e Serra Leoa, pesquisando em arquivos públicos e privados e, ao mesmo tempo, criando uma contra-narrativa do que geralmente se conta sobre a forma como as famílias brasileiras foram formadas. Com base em suas experiências pessoais, o trabalho pretende discutir questões como o racismo, as formas usuais de representação, a noção de pertencimento e identidade em uma sociedade que ainda tenta um ajuste de contas com sua história violenta e as noções românticas de sua louvada miscigenação.


Fantasmas
dir. André Novais Oliveira, 11min

O fantasma da ex.

_______________________
01.06 SÁBADO
// SONS DA CIDADE //
→ CONVITES: https://bit.ly/2QcyuPC

– 19h – Serenata ao vivo
músico: Caio Falcão
duração: 60min

Ca.io Fal.cão, s.m.: compositor paulistano; cantor não-baiano.

Caio Falcão é cantor e compositor com uma pesquisa musical voltada para a canção, fazendo diversas referências ao imenso arcabouço de compositores da música brasileira, mas com foco principalmente em Caetano Veloso, Dorival Caymmi, Gilberto Gil, Luiz Melodia e Itamar Assumpção. Seu mais recente álbum Vulgar foi lançado em 2019 pelo selo RISCO.

A faixa título conta com participação especial de Tim Bernardes nos back vocals e ganhou clip dirigido pelos Irmãos Guerra (diretores dos clipes: Camarim - Camila Garófalo, Lá Em Casa - Tonico Reis e Marreton - Charlie e os Marretas). O Clipe é estrelado pela atriz Savana Regina, e conta sobre o flerte com pop e com os hits de Karaokê.

Além disso a faixa "Na Pele" também ganhou um clip, com direção de Antonio Miano, lançado em setembro de 2018. O clipe fala do amor como guerrilha e luta frente ao crescente cenário reacionário que vislumbramos.

Em 2015 lançou seu primeiro disco "Tudo Verde" pelo selo RISCO.
Também em 2015 lançou o clipe "Dois Dragões" dirigido por ele mesmo e teve a música "Afrodite" remixada pelo conjunto Dommy, versão sobre a qual se produziu um clipe dirigido pela diretora Valentina Sutti.

Em 2016 integrou o lançamento RISCO_01 gravado na Red Bull Station juntamente das bandas O Terno, Charlie e Os Marretas, Luiza Lian com show de lançamento no CCSP.

O cantor já fez diversas apresentações nas casas noturnas de música independente da noite paulistana (Breve, Serralheria, Mundo Pensante, Secretinho, EZP, Puxadinho da Praça, Espaço Urucum, etc) onde dividiu o palco com artistas como: Gustavo Galo, Holger, Angela Carneosso, Thiago Nassif, entre outros.


– 20h – Cineclube: Mostra SÊLA de videoclipes nacionais autorais
curadoria: Camila Garófalo e Marcela Guimarães

- “De dentro do AP”, Bia Ferreira (dir. Ellen Faria)
- “Brasil”, Paige (dir. Luísa Loes)
- “Acalanto, Luedji Luna (dir. Joyce Prado)
- “A Velha”, Papisa (dir. Renata Chavs e Rita Oliva)
- "Pintas", Caru (dir. Julia Anquier & Marina Lima)

SÊLA apresenta clipes de mulheres artistas da cena independente da música nacional. Para bate papo convidam diretoras, cenógrafas e montadoras que fizeram parte da produção.

SÊLA é uma agência de música que busca legitimar a presença da mulheres em todas as etapas da cadeia produtiva que envolve o musicbusiness.
_______________________
02.06 DOMINGO
// ESPAÇOS URBANOS E CULTURA //
→ CONVITES: https://bit.ly/2VQZGJK

– 15H – Debate: os quatro elementos – conversa com a jovem guarda da arquitetura brasileira
mediação: Abilio Guerra e Marta Bogéa
.

Uma série de quatro instalações, desconectadas entre si no tempo e na geografia, relacionam as metrópoles contemporâneas aos quatro elementos básicos – água, terra, fogo e ar –, que, segundo os filósofos pré-socráticos da antiguidade grega, dão forma à natureza. Telúricas, imersas na temporalidade silenciosa das forças mesológicas, elas se apresentam como negativos da excitação irritadiça que impera nas grandes cidades congestionadas e poluídas; em certo sentido, são estratégias para despertar no corpo a sensação do que perdemos com a artificialização radical da vida humana.

A Piscina no Minhocão (São Paulo SP, 2014), estrutura efêmera instalada sobre o Elevado Costa e Silva, é uma instalação artística de autoria da arquiteta Luana Geiger. O uso da água, elemento natural vital para a existência da vida, ganha impactante valor simbólico ao se instalar como um lago em meio a edifícios altos, uma clareira aberta à sociabilidade, ao uso democrático da cidade.

O projeto Cota 10 (Rio de Janeiro RJ, 2015), do coletivo Grua Arquitetos, é uma plataforma de contemplação com 10 metros de altura, posicionada na Praça XV na altura do implodido Elevado da Perimetral. Espaço de reflexão, o plano artificial estabelece, em meio ao burburinho constante da metrópole, um ponto de contemplação do esplendor e magnitude do território.

Subsolanus (Cidade do México DF, 2016), instalação artística-arquitetônica dos coletivos Vão Arquitetura + Marina Canhadas, capta o vento na cobertura do edifício e o insufla no espaço expositivo. Assim, os citadinos são estimulados artificialmente a sentir na pele o frescor e a umidade, e na alma as forças mágicas que habitam a natureza.

A instalação Fogueira (São Paulo SP, 2017), fruto de um Workshop realizado pelo coletivo Goma Oficina com alunos da Faculdade de Arquitetura Mackenzie, tematiza relações simbólicas arcaicas, onde a sociabilidade se recria dia a dia na comunhão da refeição em torno do fogo, na rememoração do passado comum na roda de conversa, na celebração do sagrado na harmonia dos cânticos.

– 18h – Cineclube: Retrospectiva MOVE Cine Arch – cinema de arquitetura
curadoria: André Fratti Costa
duração: 45min

Sculpt the Motion
dir. Devis Venturelli, Itália, 6 min

Video-arte performática, mostra as transformações contínuas de corpos metálicos por meio de diferentes planos urbanos.

The Castle
dir. Guilherme Giufrida, Helena Ungaretti, Alexandre Wahrhaftig e Miguel Antunes Ramos, Brasil, 9 min

Fortemente protegido, um castelo luxuoso encontra-se na beira do Rio Pinheiros, em São Paulo.

________
convites

→ DIA 1: https://bit.ly/2HIhLQ9
→ DIA 2: https://bit.ly/2LYEf53
→ DIA 3: https://bit.ly/2QcyuPC
→ DIA 4: https://bit.ly/2VQZGJK

________
Sobre o Marieta

O Marieta é um centro cultural dedicado à discussão sobre pensamento contemporâneo, que atua como ponto de difusão de produções artísticas diversas e lugar de troca de experiências entre pessoas de várias gerações com interesses em comum.
O espaço funciona diariamente como local de trabalho para empresas e profissionais independentes do mercado cultural e mantém constante uma programação pública variada.
As atividades pagas, sempre a preços acessíveis, permitem a manutenção de uma ampla programação gratuita, dedicada ao estudo e ao debate do mundo em que vivemos.
A partir de 2019 o Marieta reserva 10% das vagas em seus cursos para bolsas integrais, dedicadas à pessoas de baixa renda ou em situação de vulnerabilidade. Para candidatar-se às bolsas é suficiente enviar uma carta de intenções e breve curriculum ao email contato@projetomarieta.com.br.
Todas as atividades pagas preveem redução para estudantes, professores da rede pública, idosos e ex-alunos do Marieta do ano corrente.

LINK: https://bit.ly/2Vwz0sz
________
Sobre a Casa Parte

A Casa Parte é o novo projeto da feira Parte.

Um espaço para experimentar a produção mais recente de arte do país de forma inusitada, interessante e cheia de possibilidades. São três exposições consecutivas, cada uma com foco bem definido, e todas em um mesmo casarão, cercado e integrados ao quadrilátero formado pelo MuBE, MIS e Fundação Ema Gordon Klabin, e uma intensa programação de bate-papos, shows de música, performances e espetáculos de dança.

LINK: https://bit.ly/2NuTlL9

Please reload