com Hellen Lailla

04, 11, 18, 25 de junho e 02 de julho

sábados 

das 10h ao 12h

[aulas ao vivo, via plataforma online ZOOM]

 

_____

sobre

O  curso Muito Antes da América - Introdução às artes pré-coloniais convida para um mergulho pelas  manifestações materiais de algumas culturas ancestrais da América, especialmente a região que hoje chamamos de América Latina. 

 

Organizado em cinco encontros, no curso serão apresentadas, debatidas e comparadas expressões culturais de diferentes períodos e diversos povos que habitaram o continente, buscando analisar criticamente os conceitos hegemônicos de arte, artesanato e folclore. 

 

Ao longo da história, muitos objetos ancestrais, especialmente aqueles que pareciam ter algum valor estético ou material aos olhos dos colonizadores, foram saqueados e levados para o “centro do mundo” como curiosidades e fenômenos de comparação entre o “civilizado” e o “selvagem”. Aquilo que não pôde ser pilhado foi deixado em ruínas ou reapropriado pelas narrativas dos invasores. Ainda assim, contra todas as violências, boa parte dessas produções seguiu sendo praticada e atualizada pelos descendentes desses povos, em um esforço incansável de preservação de suas identidades. 

 

Partindo do pressuposto de que resgatar nosso passado é o primeiro passo para mudar o futuro, o curso Muito Antes da América - Introdução às artes pré-coloniais propõe um olhar para os vestígios e manifestações de diferentes povos ancestrais – à luz de conceitos e leituras pós-coloniais – buscando apreciá-las e incorporá-las ao nosso imaginário pessoal e coletivo, para que consigamos ir além da narrativa eurocêntrica de que nossa arte e nossa cultura tiveram origem exclusivamente na civilização greco-romana trazida pelos invasores. 

_____

conteúdo

Os encontros combinam momentos expositivos e participação coletiva, com o envio prévio de materiais de estudo bibliográficos e audiovisuais a cada semana.

 

Encontro 1

Do que estamos falando quando falamos sobre arte americana?

Encontro introdutório onde serão apresentados e debatidos alguns conceitos de arte e sua aplicabilidade (ou não) às manifestações materiais remanescentes das sociedades pré-coloniais. Vamos pousar sobre conceitos de uma epistemologia pós-colonial e latino-americana, difundidos por filósofos como Enrique Dussel e Aníbal Quijano, buscando resgatar e interpretar antigas formas de compreender o universo e as cosmovisões e de relacionar-se com o outro. Para isso, tomamos o “pós-colonialismo” como uma possibilidade de situar-nos em nosso próprio espaço e dar protagonismo à história viva de nossos antepassados.

> Conceitos de Arte, Artesanato, Folclore e Patrimônio Cultural;

> Povoamento da América: teorias, evidência e mistérios;

> O longo desenvolvimento das comunidades pré-americanas ou ameríndias.

 

Encontro 2

Manifestações Líticas e o Nascimento dos Deuses

O continente americano guarda uma imensa quantidade de evidências visuais das cosmovisões e ideologias de povos de quase 20.000 anos atrás espalhadas por todo o território. Interpretar essas imagens sobre rochas, montanhas e vales, chamadas de “arte rupestre”, para além da decoração ou apreciação estética é o primeiro passo para mergulhar no maravilhoso universo dos povos ancestrais e buscar compreender suas vidas.

> Arte rupestre: conceito e importância + possibilidades de interpretação

> Principais sítios arqueológicos com presença de arte rupestre na América Latina e sua importância social, política, econômica e ritual.

> Algumas iconografias de importância e possíveis interpretações: O Puma ou Jaguar; O Condor; O Sapo; A Serpente; A Lhama; O Senhor dos Dois Cetros; Ai Apaec; A Chakana ou Cruz Andina; A Espiral.

 

Encontro 3

Da Adoração Espiritual à Adoração Social - Manifestações Têxteis e Cerâmicas

Na América pré-colonial, uma das ferramentas de conquista e manutenção de poder empregadas pelas culturas hegemônicas foi a imagem. Objetos realizados por artesãos e artesãs altamente especializadas, imbuídos de sentido metafórico e metafísico, viajavam longas distâncias graças aos intercâmbios entre lideranças de diferentes regiões. Por isso é que encontramos ao longo de todo o continente certos desenhos, formas e representações como a cruz andina, a espiral, o zigzag e algumas quimeras como a “serpente emplumada”. Aqui vamos observar como a iconografia religiosa se transformou em objeto de prestígio social em algumas culturas andinas e mesoamericanas. E serão debatidas algumas características dos rituais aos quais esta iconografia estava ligada.

  

> Têxteis: Tradições Andinas e Mesoamericanas

> Cerâmica: Diferentes categorias de cerâmica cerimonial e de prestígio social

> Iconografias comparadas: Múmias de Chinchorro, Mantos Funerários de Paracas, Cerâmicas Cerimoniais Nasca, Vestuário e Plumário Azteca

> Bônus: Indumentária e Joalheria de rituais de guerra e sacrifício  

 

Encontro 4

Recriação do Universo - Manifestações Arquitetônicas Pré-coloniais

Uma das maiores demonstrações do alto nível de complexidade técnica e estética das sociedades pré-coloniais, são suas manifestações arquitetônicas. Diversas como sua própria gente, essas manifestações vão muito além das famosas pirâmides e linhas de nasca. Se grande parte destas construções do que resistiram ao tempo foram dedicadas exclusivamente ao culto espiritual, também podemos encontrar grandes obras destinadas à habitação, abastecimento hidráulico e observação astronômica.

> Alguns exemplos de arquitetura monumental: Tiahuanaco (Bolívia), Centro Cerimonial de Chavín de Huantar (Peru), Teotihuacan (México).

> Arquitetura Cívico-militar: Machu Picchu e o Tahuantinsuyo (Peru), Cidadela de Chan Chan (Peru), Aquedutos e Celeiros pré-incaicos e incaicos.

> Um mistério: As Linhas de Nasca (Peru)

 

Encontro 5

Encerramento

No último encontro, aproveitamos o espaço para compartilhar impressões e elaborações sobre o que foi visto durante o curso. No formato roda de conversa, cada participante terá seu espaço para comentar e trazer novas perspectivas a respeito de algum dos temas de seu interesse. 

 

→ Mais informações sobre a bibliografia aqui.

_____

quem ministra

Hellen Lailla é realizadora e curadora audiovisual formada pela UFPE, nascida e criada em Recife, Pernambuco. Com experiência em produção cultural, já realizou mostras e festivais de arte e cinema em Recife, além de participar em curtas, longas e séries para TV. Atualmente, pesquisa "Arte y Pensamiento Latinoamericano" na Universidad Nacional de las Artes (UNA) em Buenos Aires, Argentina.

_______

para quem 

O curso é voltado para estudantes e pesquisadoras das áreas das humanidades e educação, profissionais da cultura e todas as pessoas interessadas em arte, história e povos ancestrais, que busquem adquirir novas ferramentas para desenvolver pesquisas e projetos próprios e expandir seus conhecimentos.

 

O conteúdo apresentado é de grande interesse para pessoas pesquisadoras e curiosas em história e cultura da América Latina e pessoas engajadas no debate sobre a construção de uma identidade latino-americana por meio da arte e da cultura. 

São bem-vindas pessoas de todas as idades, de todos os lugares e com todo tipo de formação!

 

É recomendável alguma proximidade com o idioma espanhol, mas a turma está aí para ajudar aquelas que não o dominam.

_____

formato

O curso conta com 05 encontros virtuais de 2 horas cada, totalizando 10 horas. Ao final dos encontros, as pessoas participantes receberão um certificado do curso, emitido pelo Marieta. 

 

No Marieta todas as aulas virtuais acontecem ao vivo (aulas síncronas), com interação constante entre docentes e alunes.

 

Para participantes que, por ventura, perderem um ou mais encontros as aulas ficarão gravadas e disponibilizadas online para serem assistidas em até 10 dias após o fim do curso.

_____

investimento

R$ 250,00 – Valor Ideal 

R$ 200,00 – Valor Reduzido 

O curso Muito Antes da América é um projeto realizado inteiramente de maneira auto-organizada, com recursos próprios e em colaboração.

As receitas recolhidas com as inscrições cobrem os custos de manutenção das ferramentas digitais, o trabalho da equipe de produção e palestrante e do centro cultural Marieta.

Acreditamos que a valorização da vida cultural da sociedade seja de responsabilidade de todas as pessoas, cada uma contribuindo segundo as suas possibilidades.

A contribuição ideal corresponde ao valor cheio que consideramos adequado para participar. 

O valor reduzido é reservado para aquelas pessoas que querem contribuir para a realização dos encontros, mas não podem pagar o valor inteiro. 

Reservamos 20% das vagas do curso para bolsistas. Na escolha das candidaturas, daremos prioridade para pessoas negras; indígenas; LGBTQIA+; periféricas; em situação de vulnerabilidade social. No formulário de inscrição, temos uma seção reservada para quem quiser pleitear uma bolsa. 

____

links para inscrições

Para participar do curso, faça sua inscrição aqui!
 

Para pedidos de bolsas, envie sua solicitação através deste formulário até o dia 20.05.2022

[Precisa fazer um pagamento do exterior ou encontrou algum problema? Por favor, escreva para contato@projetomarieta.com.br]

Dúvidas? Mande um zap!

 

Informações do Curso

Período

04.06 a 02.07

Quando

sábados

Horário

10h às 12h

Programa

5 encontros

2h cada

Valor

R$ 250,00 ideal

R$ 200,00 reduzida

Inscrições

neste link

Pedidos de bolsas

neste link (até 20.05)

Dúvidas? Mande um zap!